Skip to content

Notícias


fevereiro 07

PRÓ-MEMÓRIA PRORROGA EXPOSIÇÃO ENREDO ATÉ MARÇO

  • quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Uma boa notícia para os amantes da arte. A Fundação Pró-Memória de São Caetano do Sul por meio do Ateliê Pedagógico - Espaço Cultural Casa de Vidro prorrogou até o dia 1/3 a exposição ENREDO - caminhos da linha em Eduardo Nunes.

Com 46 obras, a mostra apresenta o trabalho do ilustrador Eduardo Nunes cujas características da linha gráfica em cada exemplar surpreendem o visitante já que o artista não se prende a um tema único. O desafio é transformar em linhas, rostos, objetos, animais, monstros e tudo que, de forma exuberante, estimula o olhar desavisado dos que olham e não enxergam o mundo.

Para celebrar a prorrogação, Nunes esteve na tarde desta quarta-feira (7/2) no Ateliê Pedagógico iniciando a pintura de uma obra coletiva criada pelos frequentadores da mostra, a intenção é que a colorização da peça também seja feita pelos frequentadores.

O Ateliê Pedagógico - Espaço Cultural Casa de Vidro está localizado na Praça do Professor, altura da Avenida Goiás, 1.111 – Bairro Santa Paula. A visitação é livre e gratuita de segunda a sexta das 9h às 16h.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 4223 4780.

O artista - Eduardo de Amorim Nunes nasceu no Rio de Janeiro (RJ), cresceu em Mauá (SP) e desde 2010 vive e trabalha em São Caetano do Sul. Estudou Design Gráfico na Belas Artes, escolheu a Ilustração e as Artes Visuais como áreas de atuação profissional. Atende clientes como Editora Abril, Editora Globo, Rolling Stone Brasil, O2 Filmes, Almap BBDO, HP Brasil e Folha de São Paulo. Além das ilustrações sob encomenda, produz trabalho autoral de desenho e pintura, participando de exposições e vendendo para clientes particulares.

fevereiro 06

FUNDAÇÃO PRÓ-MEMÓRIA RECEBE ARTIGOS E FOTOS PARA RAÍZES

  • terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

A Fundação Pró-Memória de São Caetano do Sul está com inscrições abertas para a submissão de artigos para publicação nas próximas edições da revista Raízes. O manual com as normas está disponível no site da Pró-Memória na página de Downloads (http://www.fpm.org.br/downloads.asp ). O prazo final de entrega será no dia 05 de abril.

Com 56 edições publicadas, a revista celebra o legado do passado e visa manter viva a história e a memória de São Caetano do Sul e do Grande ABC, sempre fazendo elo com o presente e com as novas gerações. A normatização para os artigos foi criada com o objetivo de melhorar a qualidade da revista e aprimorar seu conteúdo. Os textos da Raízes abrangem temáticas da história e da memória da cidade de São Caetano do Sul ou da região (Santo André, São Bernardo do Campo, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra), assim como patrimônio histórico e cultural, arquivologia, museologia e artes visuais.

Artigos, resenhas, crônicas e entrevistas, de pesquisadores autônomos ou vinculados a instituições públicas ou privadas, ou mesmo escritores independentes, integram as edições semestrais, publicadas sempre nos meses de julho e dezembro.

Raízes e Retratos – A Fundação Pró-Memória também está com o projeto Raízes e Retratos aberto para inscrições. Dentro do mesmo período, poderão ser inscritas fotos com qualquer tema, como registros familiares, eventos políticos/sociais, arquitetônicos, religiosos, étnicos, de hábitos, costumes, aspectos culturais e turísticos, que poderão ser publicadas na revista Raízes.

Após passarem por avaliação, as fotos são devolvidas àqueles que contribuíram. As imagens podem ser trazidas na sede da Pró-Memória (Av. Dr. Augusto de Toledo, n° 255, Bairro Santa Paula) de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h, ou enviadas para o email: raizes@fpm.org.br.

Mais informações também podem ser obtidas pelo telefone 4223-4780 ou pelo site da instituição, www.fpm.org.br.

fevereiro 05

PINACOTECA MUNICIPAL APRESENTA EXPOSIÇÕES ESTUDOS COLLETE PUJOL E 3D A PARTIR DESTA QUINTA-FEIRA

  • segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

A Fundação Pró-Memória de São Caetano do Sul por meio da Pinacoteca Municipal apresenta duas novas exposições ao público a partir desta quinta-feira (8/2) às 19h30.

ESTUDOS Collete Pujol traz 55 obras da artista brasileira que dá nome a mostra (1913-1999). Meticulosa e importante artista da história da arte brasileira, ela dedicou-se tanto à pesquisa como à arte-educação. 

Destaca-se, em sua intensa biografia, o momento no qual foi contemplada com uma bolsa de estudos na Escola Nacional Superior de Belas Artes, e sua nomeação como professora de composição e pintura na Escola de Belas Artes de São Paulo, hoje, Centro Universitário.

Esta exposição permite ao visitante conhecer um pouco do processo criativo e artístico tanto da artista como da professora. A partir de estudos, desenhos e exercícios, perceber-se o aprimoramento do fazer artístico, até chegar à obra finalizada.”, explicam as curadoras da exposição Nair Duarte e Fabiana Cavalcante.

Entre 2005 e 2017, parte do acervo de Collete foi doada à Pró-Memória por meio da Pinacoteca pelo Espaço Cultural Colette Pujol.

3D – Já a mostra 3D é fruto de parceria da Fundação Pró-Memória  com o Escritório de Arte e reúne uma coletiva de 18 trabalhos de oito artistas, que trazem aspectos poéticos e sutis, brincando com materiais, formas, espaço e com a imaginação.

A intenção é convidar que o visitante tenha uma postura desafiadora e instigante de perceber os objetos e personagens, a fim de traçar um diálogo, deixando-se levar por aquilo que está escondido e pretende ser revelado.

ESTUDOS Colette Pujol e 3D ficarão em cartaz na Pinacoteca Municipal de 9 de fevereiro a 13 de abril de segunda a sexta das 9h às 17h e aos sábados, das 9h às 13h. O endereço é: Av. Dr. Augusto de Toledo, 255, Bairro Santa Paula. Visitação livre e entrada gratuita. Mais informações podem ser obtidas no telefone 4223 4780.

fevereiro 01

SÃO CAETANO VISTA DE CIMA É O TEMA DA EXPOSIÇÃO VIRTUAL DA PRÓ-MEMÓRIA DE FEVEREIRO

  • quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Uma São Caetano do Sul retratada em fotos aéreas com suas vistas, paisagens e horizontes, este é o tema da exposição virtual de fevereiro da Fundação Pró-Memória, disponível em seu site: www.fpm.org.br

São Caetano vista de cima conta com 20 imagens panorâmicas que fazem alusão a diferentes momentos da paisagem urbana local, com seus respectivos marcos, peculiaridades e cenários.

Por meio delas, poderão ser identificados trechos, ruas, caminhos e edificações que fizeram ou fazem parte da geometria urbanística sul-são-caetanense, além das transformações nela verificadas, resultantes, sobretudo, dos intensos processos de industrialização e urbanização que envolveram a cidade a partir do início do século passado.  

Temos na mostra, por exemplo, fotos do período anterior a duplicação da Avenida Goiás, quando o Córrego do Moinho ainda cortava a Avenida Presidente Kennedy e imagens de empresas como General Motors e as Indústrias Matarazzo.

janeiro 08

EXPOSIÇÃO VIRTUAL DA PRÓ-MEMÓRIA RELEMBRA PASSEIOS À PRAIA

  • segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Ontem, hoje e sempre o mês de janeiro no Brasil é marcado pelas férias escolares e pelo verão. É a temporada do descanso também para muitas famílias e amigos. Combinando com o clima, a Fundação Pró-Memória de São Caetano do Sul realiza em sua primeira exposição virtual de 2018 a mostra Vamos à praia?

Constituída por 19 imagens e disponível em www.fpm.org.br, a atividade revela variados momentos dessas ocasiões de sociabilidade e descontração de moradores da cidade, em um período em que o cotidiano de boa parte deles era pautado pelo ritmo intenso de trabalho nas fábricas.   

As fotos, datadas das primeiras décadas do século passado, retrata que a ida a praias como a do José Menino, em Santos (SP), estava, ao lado de disputadas sessões de cinema, de concorridos bailes e apresentações teatrais, entre as principais opções de lazer da população de São Caetano. Organizados por grupos de amigos ou antigos clubes locais, como o Grêmio Instrutivo Recreativo Ideal, tais passeios eram marcados por animados piqueniques ou convescotes (termo usual na época).

 

janeiro 02

FUNDAÇÃO PRÓ-MEMÓRIA ENCERRA 2017 EM NOVA FASE E PROJETA AMPLIAÇÃO DE ATIVIDADES PARA 2018

  • terça-feira, 2 de janeiro de 2018

A Fundação Pró-Memória de São Caetano do Sul chega ao fim de 2017 com saldo positivo em seu objetivo de preservar e salvaguardar a memória do município e de sua população. Mais do que isso, no ano que se encerra no próximo domingo, a instituição se firmou como um equipamento cultural de extrema relevância.

No total, foram realizadas 17 exposições entre virtuais no site e físicas na Pinacoteca Municipal, Museu Histórico Municipal e Ateliê Pedagógico - Espaço Cultural Casa de Vidro prestigiadas por milhares de pessoas. Além disso, a Pró-Memória também realizou duas mostras itinerantes expostas em quatro locais de grande público da cidade (Atende Fácil, Câmara Municipal, Cecape e Hotel Mercure).

“Faz parte de nossa missão levar cultura e entretenimento à comunidade, sempre com viés histórico e memorialista, mas também promovendo o bem estar social, o conhecimento e a interação entre as pessoas”, disse o presidente da Fundação.

Como prova desse papel de entretenimento e saber da instituição podemos destacar a mudança de local do Ateliê Pedagógico. Até o fim de 2016 localizado em uma sala interna, o espaço foi transferido para a Casa de Vidro, na Praça do Professor. Com isso, teve o seu atendimento ampliado para todos os dias da semana e se tornou mais um local de exposições, cursos e workshops.

A FPM participou também com suas atrações de atividades municipais como a Festa Italiana, a Entoada Nordestina e a Universidade Aberta da USCS, regionais como o 14º. Congresso de História do Grande ABC e até internacionais, caso do II Simpósio Internacional Comunicação e Cultura: Memória e História Oral, ocorrido na Universidade de Colima, no México.

Na linha editorial, a Pró-Memória também fez bonito. A tradicional revista Raízes chegou este ano aos números 55 e 56 marcando a celebração de dois fatos históricos do município: os 300 anos do início da construção da primeira capela de São Caetano e o cinquentenário da Fundação das Artes. Já a Agenda Histórica, em sua edição de 2018, lançada em dezembro relembra os 70 anos da autonomia político-administrativa da cidade.

Atividades retomadas

A Fundação Pró-Memória teve papel essencial na retomada de dois importantes projetos que visam a preservação da memória sul-são-caetanense e que foram interrompidos entre 2013 e 2016: O Cidadão da História e a Medalha Di Thiene.

Iniciado em 2007, o Cidadão da História tem como objetivo homenagear os mais antigos moradores, empresas e entidades de cada localidade e faz parte das atrações do programa Bairro a Bairro da Prefeitura Municipal. A ação busca o reconhecimento, a valorização e a documentação histórica.

Já a Medalha Di Thiene, criada em 2006, homenageia cidadãos e estabelecimentos que prestaram relevantes serviços à São Caetano. A cerimônia, muito prestigiada, foi realizada em julho no Salão Nobre da Câmara Municipal.

Novos projetos

2018 vem com muitas novidades para a Fundação Pró-Memória como a ampliação da reserva técnica da Pinacoteca, um novo conceito para o Museu Histórico Municipal, o fortalecimento da linha editorial com a publicação de livros e a reabertura do Espaço do Forno. “Vamos centrar esforços em levar nossas atrações a um número cada vez maior de pessoas e assim nos aproximar mais do dia a dia do morador da cidade”, pontuou o presidente.

dezembro 08

RAÍZES 56 MARCA INÍCIO DA COMEMORAÇÃO DO CINQUENTENÁRIO DA FUNDAÇÃO DAS ARTES

  • sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Uma grande celebração à cultura, arte, memória e história. Assim foi o lançamento da edição nº 56 da revista Raízes realizado na noite desta quinta-feira (7/12) no Teatro Santos Dumont, no Bairro Santa Paula.

Produzida pela Fundação Pró-Memória de São Caetano do Sul, a publicação homenageou neste número os 50 anos da Fundação das Artes, a serem comemorados em abril de 2018. Tendo como tema principal o meio século da instituição, que concentra escolas de música, teatro, dança e artes visuais, o periódico traz em sua seção principal, Em Foco, diversos textos sobe a ótica de historiadores, pesquisadores, alunos, ex-alunos e funcionários relatando momentos marcantes, dados históricos e projeções para o futuro.

O prefeito municipal destacou a qualidade da revista e seu papel na preservação e perpetuação da história de São Caetano. “Às vésperas do lançamento, sempre as pessoas perguntam sobre a data e qual será o tema, isso é importante, pois está consolidado na cidade o hábito da leitura da publicação, que desempenha com maestria a arte de contar histórias e documentar o passado”, afirmou. “A homenagem para a Fundação das Artes é merecida e é o congraçamento desses dois ícones culturais de nosso município”, finalizou.

Ainda na mesma linha, o secretário Municipal de Cultura saudou o assunto principal da revista e o trabalho conjunto das duas fundações de cultura. “É motivo de orgulho para a cidade termos equipamentos culturais tão importantes e sinérgicos”, disse.

“É um momento único. A Raízes fala por si só”, exaltou o presidente da Fundação Pró-Memória que também anunciou em sua fala o fortalecimento do projeto editorial da instituição para 2018. “No ano que vem, além das duas edições da revista e da Agenda Histórica vamos lançar quatro livros seguindo nossa missão de divulgar, preservar e salvaguardar a memória”, pontuou.

Agradecendo a honraria, a diretora-geral da Fundação das Artes ressaltou o momento atual da instituição e a importância histórica dos pioneiros.

“Somos gratos a todos os que colocaram os primeiros tijolos nessa significativa construção. Vivenciar este importante momento de celebração, no qual a Fundação das Artes completa meio século de existência, requer um olhar não só para o momento de festividade, que será de grande alegria e emoção, mas, principalmente, para a oportunidade de firmar compromissos maiores e que, efetivamente, resultarão em ações importantes e necessárias para um maior desenvolvimento da instituição”, declarou.

Apresentações

Claro que a homenageada não poderia deixar de marcar presença com a demonstração de seu trabalho desempenhando por excelência há cinco décadas. Durante o evento, grupos de dança e teatro fizeram apresentações ao público presente levando cultura e emoção ao palco do Santos Dumont.

Raízes

Além da seção Em Foco a revista, que vem com 132 páginas, continua com as seções Memória, História Oral, Artigos, Esportes, Poesias e Crônicas, que celebram e eternizam a história da cidade e seus personagens, e também apresenta muitas fotografias antigas, nas seções Memória Fotográfica e Raízes e Retratos.

A distribuição é gratuita na sede da Fundação Pró-Memória (Av. Dr. Augusto de Toledo, nº 255 – Bairro Santa Paula), de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, ou no Museu Histórico Municipal (Rua Maximiliano Lorenzini, nº 122 – Bairro da Fundação), das 9h às 17h. Mais informações pelo telefone 4223-4780 ou pelo e-mail raizes@fpm.org.br.

dezembro 06

MUSEU MUNICIPAL PRORROGA ATÉ O FIM DE DEZEMBRO A EXPOSIÇÃO PLACAS HISTÓRICAS

  • quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Programada para ser encerrada no último dia 1/12 a exposição Placas Históricas realizada no Museu Histórico Municipal de São Caetano do Sul foi prorrogada até o dia 22/12.A mostra retrata, em 11 placas relevantes do passado do município, parte significativa dos locais em que elas foram afixadas, das pessoas e gestões delas contemporâneas e de sua importância aos munícipes. Todas as administrações que passaram pelo comando de São Caetano no século 20 estão abrangidas em Placas Históricas. Desde o primeiro prefeito municipal, Ângelo Raphael Pellegrino, até Luiz Olinto Tortorello, o último a administrar a cidade no período.Mais do que isso, a mostra pretende levar ao visitante a lembrança desses equipamentos públicos, hoje inexistentes ou alterados por reformas, mas que de alguma forma marcaram o dia a dia sul-são-caetanense e a vida de seus moradores. Entre as peças da mostra, por exemplo, há a placa produzida pelos funcionários da Prefeitura Municipal para celebrar o primeiro ano de governo da cidade após sua autonomia, a de inauguração do Grupo Escolar do Bairro Prosperidade em 1954, quando o local ainda pertencia à Santo André e também a de inauguração da célebre e inesquecível Concha Acústica. A visitação é livre e gratuita de segunda a sexta-feira das 9h às 17h. O Museu Histórico Municipal fica na Rua Maximiliano Lorenzini, 122, Bairro Fundação. Mais informações pelo telefone: 4229 1988.

dezembro 06

COM A PARTICIPAÇÃO DO MOSTEIRO DE SÃO BENTO, MISSA CELEBRA O 3º. CENTENÁRIO DA CAPELA DE SÃO CAETANO

  • quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Em comemoração aos 300 anos do início da construção da primeira capela de São Caetano pelos beneditinos, neste domingo (10/12), às 18h, será realizada na Paróquia São Caetano (Matriz Velha), localizada na Praça Comendador Ermelino Matarazzo no Bairro da Fundação, pelo abade do Mosteiro de São Bento, Dom Mathias Tolentino Braga, missa comemorativa da data. A cerimônia contará com a participação do coral de Canto Gregoriano da Ordem, formado pelos monges de São Bento. Será a primeira vez desde 1877 que vozes beneditinas serão ouvidas sobre o mesmo chão da antiga Capela, que foi demolida em 1900 para edificação da igreja atual.Além da participação de integrantes do Mosteiro, o ato também reunirá outras autoridades religiosas como o bispo da Diocese de Santo André, Dom Pedro Carlos Cipollini.Antecedendo a missa, haverá uma contextualização histórica proferida pelo professor José de Souza Martins. Com mais de 30 livros escritos, Martins é o autor do clássico São Caetano do Sul em Quatro Séculos de História (1957), seu primeiro trabalho sobre a cidade e publicação referencial para a historiografia do município.A celebração é aberta ao público em geral e contará com estrutura apropriada (cadeiras, tendas e telão) montada na Praça Comendador Ermelino Matarazzo a fim de que, aqueles que não conseguirem se posicionar dentro da igreja, também possam assistir à atividade.

dezembro 04

EXPOSIÇÃO VIRTUAL DA PRÓ-MEMÓRIA RETRATA A SÃO CAETANO DE TODOS OS POVOS

  • segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Quando falamos da imigração para São Caetano do Sul, obviamente vêm à mente em primeiro lugar a numerosa colônia italiana que fundou o local em 1877. Entretanto, nesses 140 anos de história, a cidade recebeu também correntes migratórias de variados países da Europa e da Ásia.A história desses imigrantes que enriqueceram a cultura e ajudaram na formação do município é o tema da exposição da Fundação Pró-Memória São Caetano de Todos os Povos, disponível no site da instituição (www.fpm.org.br).Com mais de 20 imagens provenientes do Centro de Documentação, a mostra retrata além dos italianos, famílias originárias de outros países da Europa, como Alemanha, Hungria, Bulgária, Romênia, antiga Iugoslávia, Ucrânia, Lituânia além dos asiáticos Líbano e Japão que vieram para São Caetano ao longo das primeiras décadas do século passado, principalmente após a Primeira Guerra Mundial (1914-1918).O objetivo da exposição é demonstrar um modesto gesto de respeito à memória dos personagens que adotaram a cidade como terra natal e, com amor, abnegação e perseverança, ajudaram a escrever importantes capítulos de sua história.