Skip to content
  • Retina Regis Ribeiro
    :: ESPAÇO CULTURAL – CASA DE VIDRO ::
  • Rubens Ianelli Passagens
    :: Dia 22 :: PINACOTECA MUNICIPAL
  • Soldados Brasileiros, Bravos Guerreiros
    :: EXPOSIÇÃO VIRTUAL ::

Programação


Até 16 de setembro

A Fundação Pró-Memória de São Caetano do Sul está com inscrições abertas para a submissão de artigos para publicação na próxima edição da revista Raízes. O manual com as normas está disponível no site da Pró-Memória na página de Downloads (http://www.fpm.org.br/Download). O prazo final de entrega será no dia 16 de setembro.
Submissão de artigos para a revista Raízes

Dia 31 de agosto l 15h

Lançamento do livro
A obra Babel nas terras alagadiças: revista Raízes, migrações e memórias em São Caetano do Sul destaca a importância do imaginário migrante na região do ABC paulista. Ao abarcar um conjunto de grupos culturais de distintas origens, a revista Raízes congrega memórias, afetos, saberes e práticas, sobretudo com a divulgação da memória daqueles que deram contribuição significativa à cidade e à construção social. O livro ressalta que valorizar o passado e a tradição são maneiras naturais de entender o hoje. A publicação será comercializada pela autora (valor R$ 45,00).
Babel nas terras alagadiças: revista Raízes, migrações e memórias em São Caetano do Sul, de Lilian Crepaldi

Até 16 de setembro

A Fundação Pró-Memória também está com o projeto Raízes e Retratos aberto para inscrições. Dentro do mesmo período, poderão ser inscritas fotos com qualquer tema, como registros familiares, eventos políticos/sociais, arquitetônicos, religiosos, étnicos, de hábitos, costumes, aspectos culturais e turísticos, que poderão ser publicadas na revista Raízes. 

Raízes e Retratos

Até 27 de setembro

A mostra retrata por meio de objetos, documentos e fotos, a história dos bairros de São Caetano que ficam próximos da linha férrea, Fundação e Prosperidade. Este último, aliás, comemorou 55 anos de anexação a São Caetano em 2018.
Nos arredores da ferrovia: a formação dos bairros da Fundação e Prosperidade

Abertura - dia 22 de agosto l 19h30

Rubens Ianelli é artista plástico, filho de Arcângelo Ianelli e sobrinho de Thomas Ianelli. Destaca-se no cenário artístico nacional devido as suas diversas experimentações em pintura e escultura, em pequenos e grandes formatos, registrando sua marca pessoal. Durante um período em sua vida dedica-se a medicina sanitarista, com formação acadêmica. Atuou junto com as populações indígenas amazônicas, sendo bastante influenciado também por sua estética. Nesta exposição apresenta seus trabalhos artísticos produzidos a partir intensa vivencia artística e social. Visitação até 25 de outubro.
Rubens Ianelli – Passagens

Visitação até 10 de agosto

Abertura e roda de conversa: Arte como instrumento terapêutico no tratamento de usuários da rede de saúde mental

Fruto do programa educativo Arte como Apoio Terapêutico traz objetos produzidos em visitas à Pinacoteca Municipal pelos pacientes do Centro de Apoio Psicossocial (Caps). O programa é uma ação continuada, evidenciando que o espaço do museu deve ser apropriado e utilizado como lugar de socialização e de interação oferecendo uma importante reflexão sobre arte como estratégia na organização dos cuidados nos serviços da saúde mental e como uma ação interdisciplinar. Participam da mostra integrantes do Incluarte e do Nutrarte, dispositivos das redes de atenção psicossocial dos municípios de São Caetano e São Bernardo, respectivamente. 
Exposição do projeto Arte como Apoio Terapêutico

Permanente

A proposta do projeto Reservado para Menores é criar alguns momentos de estranhamento ou reflexão, com um público específico e muito importante – as crianças – procurando oferecer tudo de bom que a Arte pode trazer. Visitação monitorada na Pinacoteca Municipal para grupos de crianças a partir dos 3 anos.
Projeto Reservado para Menores

Visitação até 6 de outubro

Campos invisíveis, narrativas e vertentes sem um viés retrospectivo, o conjunto, o entrelace de monotipias, xilogravuras, colagens, fotoperformances e instalações afluindo em uma técnica mista densa, rica em texturas e ao mesmo tempo sutil na estratégia de abraçar e se desdobrar buscando a cumplicidade, a aproximação sensorial daquele que chega para uma reflexão envolvida por cerca de 200 obras expostas. 
Retina Regis Ribeiro